2nd jun, 2011

Jeremy (3004)

Jeremy by Pearl Jam
written by vocalist Eddie Vedder

At home
Drawing pictures
Of mountain tops
With him on top
Lemon yellow sun
Arms raised in a V
Dead lay in pools of maroon below
Daddy didn’t give attention
To the fact that mommy didn’t care
King Jeremy the wicked
Ruled his world
Jeremy spoke in class today
Jeremy spoke in class today
Clearly I remember
Pickin’ on the boy
Seemed a harmless little fuck

But we unleashed a lion
Gnashed his teeth
And bit the recessed lady’s breast

How could i forget
He hit me with a surprise left
My jaw left hurtin
Dropped wide open
Just like the day

Like the day i heard
Daddy didn’t give affection
And the boy was something mommy wouldn’t wear
King jeremy the wicked
Ruled his world
Jeremy spoke in class today
Jeremy spoke in class today
Try to forget this…
Try to erase this…
From the blackboard.



Dear Students,

Do you all know the story behind this lyrics?

Let’s read about it, from a excerpt extracted from http://en.wikipedia.org/wiki/Jeremy_%28song%29.

“Jeremy” is based on two different true stories. The song takes its main inspiration from a newspaper article about a 15-year-old boy named Jeremy Wade Delle, born February 10, 1975, from Richardson, Texas who shot himself in front of his English classmates at Richardson High School on Monday morning of January 8, 1991 at about 9:45 am. (…)
When asked about the song, Vedder explained:

It came from a small paragraph in a paper which means you kill yourself and you make a big old sacrifice and try to get your revenge. That all you’re gonna end up with is a paragraph in a newspaper. Sixty-three degrees and cloudy in a suburban neighborhood. That’s the beginning of the video and that’s the same thing is that in the end, it does nothing … nothing changes. The world goes on and you’re gone. The best revenge is to live on and prove yourself. Be stronger than those people. And then you can come back.

The other story that the song is based on involved a student that Vedder knew from his junior high school in San Diego, California. He elaborated further in a 1991 interview:

I actually knew somebody in junior high school, in San Diego, California, that did the same thing, just about, didn’t take his life but ended up shooting up an oceanography room. (…).

So it’s a bit about this kid named Jeremy and it’s also a bit about a kid named Brian that I knew and I don’t know…the song, I think it says a lot. I think it goes somewhere…and a lot of people interpret it different ways and it’s just been recently that I’ve been talking about the true meaning behind it and I hope no one’s offended and believe me, I think of Jeremy when I sing it.

Responses

A história real desses dois garotos retratada em música ficou legal. Não é a primeira vez que isso acontece. Sempre vejo bandas transformarem em notas acontecimentos recentes que ocorreram com o mundo ou com eles mesmos. Isso dá muita emoção à musica. Um exemplo é Don’t know why, musica do McFLY que foi feita por Danny Jones quando descobriu que seu pai traia sua mãe, ou algumas do Avenged Sevenfold.

Se eu não me engano essa música foi censurada em algum lugar justamente por tratar dessa história. Não vejo nada de mais nela. Esse estilo de escrita retratando os momentos da vida é muito marcante nas músicas de Rap e também no Rock, que já em vez de uma linguagem direta usa-se uma linguagem mais subjetiva, que faz com que cada pessoa tenha seu modo de interpretá-la. As vezes a música faz muito sucesso porque as pessoas sentem um pouco da sua vida ali cantadas e “desabafadas”. Geralmente as músicas que eu ouço trazem um pouco dessa reflexão.

Adoro músicas assim, que retratam algo que realmente aconteceu. Como exemplo, posso citar ” Love of my life”, do Queen, que Freddie Mercury escreveu para uma amiga que amou por um tempo, mesmo com sua opção sexual. Isso com certeza da muito mais emoção e sentido a canção. Não sei se há mais músicas que escuto que são assim, mas a maioria delas me passa mensagens de amor muito lindas, onde ás vezes ” a carapuça serve” para momentos que estou passando (ou não).

Caroline Rieger, 2004.

Pois é, Carol,
Eu também adoraria descobrir as histórias que foram inspiração para o processo de criação dos artistas. Eu gosto muito de Starry Night, que foi composta por Don McLean, em homenagem ao artista holandês Van Gogh.

É muito interessante as composições musicais que contam a história de um personagem. Uma composição muito interessante também é “Pinball wizard” da banda The Who, que conta a história de um menino que joga Pinball muito bem…
Esses tipos de composições são bastante legais porque ao mesmo tempo que nos envolvemos com o ritmo, estamos ouvindo e imaginando uma história..

Legal, Flavia, vou tentar encontrar esta!

essa tbm e uma otima musica, ela me inspira a cada vez q há ouço tenho uma nova inspiração revelada.
ushauhsuah’

Leave a response

Your response: